Skip to content

Tag: Folhagens

ASPARGO-PLUMA OU RABO-DE-GATO

Eu sou muito fã dessa plantinha, acho que seu formato dá um charme todo especial ao jardim.

Com aspecto de pluma, este aspargo conquistou os jardins brasileiros. É uma bela folhagem, composta de vários ramos, com folhas em forma de espinhos e pseudofolhas em forma de agulha, que se distribuem de maneira uniforme por toda a extensão da “pluma”.

De aspecto delicado, é uma planta relativamente rústica, que pode ser plantada em vasos e jardineiras, bem como adornando canteiros e conjuntos. Você pode usar também como forração de vasos maiores. As flores brancas e pequenas tem importância ornamental secundária.

O aspargo-pluma deve ser cultivado à meia-sombra, em solo fértil e enriquecido com matéria orgânica, com regas regulares. Tolerante ao frio. Atinge de 50 a 70cm de altura.

Nome Científico: Asparagus densiflorus / Origem: África do Sul

1

76_Asparagus%20Densiflorus%20meyers

25382_20120427T235728_0_jpg_1024x1024_q85

69031806758082453_mweePjJ1_c

Asparagus-densiflorus-Meyers

asparagus-densiflorus-meyersii_medium

aspargo

ASPARAGUS DENSIFLORUS MEYERSII

rabo_de_gato_11

ÁRVORE-DO-VIAJANTE

A árvore-do-viajante tem um aspecto escultural e peculiar, próprio das estranhas e belas plantas de Madagascar. Suas folhas são enormes, como as folhas de bananeiras e sustentadas por longos e fortes pecíolos, dispostos em leque. Entre estes pecíolos, a planta acumula água, que serve para matar a sede dos viajantes, e que acabou lhe valendo o nome popular. Quando estes pecíolos caem, ficam cicatrizes no caule lenhoso à semelhança das palmeiras. Apesar se ser comumente confundida com um palmeira, a árvore-do-viajante é relacionada com as estrelítzias (Strelitzia sp).

Esta planta de porte respeitável – atinge 8 metros de altura – e aspecto sensacional não é para qualquer jardim. Ela precisa de espaço para crescer bonita e ser adequadamente admirada. Pode ser utilizada isolada ou em grupos, com caule único ou em touceiras gigantes, preferencialmente em extensos gramados bem cuidados. A árvore-do-viajante é apropriada para grandes jardins residenciais, fazendas e parques. Ela é considerada um dos símbolos de Madagascar e é muito útil para os nativos, que extraem uma gordura sólida do seu caule e fazem coberturas com as fibrosas folhas.

Deve ser cultivada sob sol pleno, em sol fértil, drenável, enriquecido com matéria orgânica e irrigado regularmente. A árvore-do-viajante aprecia adubações orgânicas regulares e não é tolerante a longos períodos de estiagem. É uma planta essencialmente tropical, nativa de florestas quentes e úmidas e não tolera geadas ou frio intenso. O plantio em locais abertos e com ventos fortes faz com suas folhas fiquem rasgadas e feias. A árvore-do-viajante necessita de ricas adubações mensais para que cresça vigorosamente. Multiplica-se por sementes e por divisão das mudas que se formam junto à planta mãe.

Nome Científico: Ravenala madagascariensis / Origem: Madasgacar

arvore-do-viajante-ravenala-madagascariensis Nokia142

Photo 172

Ravenala-06

Ravenala-madagascariensis-Foto-Hafiz-Issadeen

 

ESPADA-DE-SÃO-JORGE

Se você procura pra uma espécie que não dê muito trabalho pra cuidar, uma dica é a espada-de-são-jorge. As folhas rajadas desta espécie entraram nos jardins brasileiros pelas mãos de Burle Marx. Africana de origem, a espada-de-são-jorge foi adotada primeiro pelos modernistas, mas hoje cabe em qualquer estilo e lugar. É a flexibilidade em forma de planta. Ela é muito resistente e excelente para jardins de baixa manutenção. Um porém é que seu crescimento é um pouco lento.

Suas folhas são muito ornamentais e podem se apresentar de coloração verde acinzentada e variegadas, com margens de coloração branco-amareladas, todas com estriações de um tonalidade mais escura. As flores brancas não tem importância ornamental. É uma planta de utilização bastante tradicional. Além do seu uso ornamental, as espadas-de-são-jorge são também conhecidas como plantas de proteção contra o mau-olhado, devendo ser colocadas próximo à entrada das casas.

Devem ser cultivadas à pleno sol ou meia-sombra, em vasos ou em maciços e bordaduras. Resiste tanto à estiagem, como ao frio e ao calor, além de ser pouco exigente quanto à fertilidade do solo.

Nome Científico: Sansevieria trifasciata / Origem: África

0,,21520504,00

02-um-jardim-feito-com-plantas-resistentes-e-pouca-manutencao

14-plantas-que-nao-precisam-de-muito-sol

900x900-ambiente-32-espada-de-sao-jorge-c-pote-105cm

657109-Como-plantar-espada-de-são-jorge

cj655pe_206_1

espada-de-sao-jorge-002

flor6

jardim-em-vasos_f_0202

Slide13